A maioria das startups não conseguem reter talentos. Saiba aqui os principais motivos, enxergar soluções e como lidar com o problema. Saiba mais! 

As startups possuem dificuldades para reter talentos. Mesmo que hoje em dia, as empresas nascentes estejam em franco crescimento e o número tenha aumentado em 20x nos últimos oito anos, muitos departamentos de Recursos Humanos ainda enfrentam desafios para diminuir o turnover. 

Cenários instáveis, ambientes de trabalho voláteis e orçamento enxugado para contratações. Essas são algumas das principais causas pelas quais as startups passam por adversidades quando o assunto é manter os colaboradores por mais tempo na empresa. 

Se esse é um problema no seu dia a dia operacional, uma boa notícia. Aqui nesse post, vamos discorrer sobre os porquê as startups não conseguem reter talentos e quais os impactos disso. 

Conhecendo os motivos pelos quais as pessoas trocam de empresa, fica mais fácil enxergar soluções e lidar com o problema. 

Vamos lá? 

Mas afinal, qual é então o motivo das startups não conseguirem reter talentos?

Ao contrário de empresas tradicionais, as startups possuem desafios próprios, inerentes ao seu modelo de negócios e o ambiente incerto que estão inseridas. 

Uma das principais características desse modelo de negócio é a gestão de pessoas. As estruturas organizacionais são mais flexíveis, menos burocráticas, as equipes são horizontais, processos ágeis e times autônomos. 

Isso acarreta a seleção de talentos com perfil para lidar com esse ambiente de trabalho e com as mudanças rápidas decorrentes dele. Algumas pessoas simplesmente não possuem habilidades para conseguir encarar desafios tão frequentes e buscam estabilidade. 

Outro ponto é que as startups, normalmente, contam com um orçamento reduzido durante as primeiras fases – assim os salários e os benefícios não são exatamente um diferencial nesta etapa. 

Como o core da empresa normalmente é uma solução tecnológica, existe uma demanda por profissionais altamente qualificados – e bem remunerados. Assim, por serem concorridos no mercado de trabalho, recebem bastante propostas de trabalho. É difícil cobrir as propostas financeiras e mantê-los na equipe. 

Quais impactos se refletem sobre estas empresas emergentes? 

Quem está à frente de um departamento de Recursos Humanos de uma startup sabe muito bem quais são os impactos das premissas apresentadas acima para as empresas. Reter talentos é uma das principais formas de garantir a sobrevivência, o lucro e a prosperidade do negócio.

Para isso, a solução está em selecionar pessoas com o perfil adequado e oferecer outras vantagens que não sejam necessariamente a remuneração. Um dos principais pilares para diminuir o turnover é ter uma cultura organizacional sólida.

Assim, na hora de contratar, é importante possuir valores, missão e a visão de futuro muito bem definidos, assim como plano de carreira, propósito e outros benefícios de fazer parte do time da startup.

Essa é uma maneira prática para selecionar pessoas que se encaixam no ambiente dinâmico de uma startup e mantê-las motivadas quando o salário não é exatamente um atrativo.

Além disso, é interessante oferecer treinamento e devolutivas construtivas focadas no desenvolvimento do colaborador. Para isso, é interessante contar com dados e outras informações estratégicas na contratação, o que pode ser implementado com a automatização do processo de atração e retenção.

As startups não conseguem reter talentos mesmo que o ecossistema tenha crescido 27% nos últimos dois anos e estejam o mais rápido possível – aquecendo a economia. Contar com a tecnologia para atrair talentos com fit cultural é uma das maneiras mais rentáveis de diminuir o turnover e manter a equipe.

Acrescente inteligência e inovação dos processos seletivos com softwares e ferramentas tecnológicas! Uma delas é a plataforma da Talentbrand.

 Entenda aqui como funciona! 🙂

Social

INSTAGRAM

LINKEDIN