Para atrair e engajar talentos é preciso implementar métodos inovadores de gestão e adotar um mindset digital. Entenda mais sobre o tema lendo este artigo.

No início de 2020, ninguém poderia prever os desafios que enfrentaríamos como resultado do COVID-19. A resiliência e a adaptabilidade surgiram como competências essenciais às empresas que precisaram se adaptar, rapidamente, a uma realidade diferente. 

Mudanças que antes levariam anos de planejamento foram implementadas em apenas alguns dias, impactando o trabalho, as relações sociais e a forma como pensamos. Para os profissionais de recursos humanos, essas circunstâncias exigiram uma nova abordagem, tanto no recrutamento e seleção quanto na gestão dos colaboradores da empresa.

Hoje, é preciso a compreensão de que o mundo pós-pandemia, marcado por essa aceleração digital, requer ajustes definitivos no racional e na cultura corporativa para garantir a sobrevivência, a curto prazo, e o crescimento dos negócios, a longo prazo. Essa nova forma de pensar é o que chamamos mindset digital.

Para viabilizar essa transformação, antes de tudo, é preciso reconhecer o capital humano como a força motriz dos processos. Assim, a corrida por talentos também se tornou mais competitiva. Neste cenário, descartar-se para atrair os melhores profissionais exige o desenvolvimento de um mindset digital. 

Ficou interessado nessa discussão? Quer saber mais? Então, prossiga com a leitura deste artigo.

Recursos Humanos e o mindset digital

Quando se fala em transformação digital, muitas vezes é comum focar no desenvolvimento tecnológico, ou seja, na disponibilidade de novas ferramentas como big data, machine learning, IoT, indústria 4.0, computação em nuvem, realidade virtual e aumentada, robótica, entre outras. 

Embora esses elementos sejam de extrema importância, o mindset corporativo desempenha um papel essencial na inovação tecnológica. Esta mudança diz respeito à mentalidade, aos métodos de trabalho e à capacidade de gerir ou ser gerido de um jeito diferente.

Além do contexto econômico, a revolução digital soma-se à singularidade do contexto em que nasceram os integrantes da Geração Y, que hoje representam a maior parte da população economicamente ativa no Brasil.

Essa geração (nascidos no final dos anos 1980 até o início dos anos 2000) utiliza diversas ferramentas de alta tecnologia espontaneamente e estão super conectados o tempo todo, absorvendo um fluxo de informações muito grande a uma velocidade absurda.

Tanto na condição de consumidores, quanto candidatos a uma vaga de emprego, esses profissionais se sentem muito mais atraídos por empresas com mindset digital. 

Nesse aspecto, as empresas que não correspondem essas expectativas ficam para trás, tendo enorme prejuízo financeiro e humano. Entenderemos melhor a preferência por empresas pelo mindset digital a seguir, então prossiga com a leitura.

A preferência pelo mindset digital

No mercado de trabalho, os jovens da Geração Y ocupam atualmente um lugar de destaque, graças ao seu caráter arrojado e à sua capacidade de adaptação às novas tecnologias. Logo, recrutar os jovens dessa geração é uma verdadeira vantagem para a sua empresa. Confira a seguir o que eles esperam de uma empresa.

Flexibilidade

Embora os millennials sejam ousados, eles não gostam de trabalhar sob pressão ou em um ambiente estressante, e não hesitam em trocar uma empresa por outra se as condições de trabalho não forem adequadas. O equilíbrio na vida profissional e pessoal é uma prioridade para eles, que aspiram a um plano de carreira flexível. 

Assim, eles precisam de horários flexíveis para poderem conciliar essas esferas da vida da melhor forma possível. Obviamente, esses horários também devem ser adaptados às diferentes obrigações vinculadas aos respectivos cargos, e eles conseguem entender isso. 

Entretanto, para eles, e na medida do possível, independentemente da hora de chegada e partida, o que importa é o trabalho finalizado, pois podem ativar sua energia e sua atenção em qualquer lugar e a qualquer hora, graças ao mindset digital.

A liderança

Atualmente, a maioria dos jovens profissionais, esperam uma gestão baseada na holocracia, ou seja, sem um sistema rígido de hierarquia. Nessa configuração, o poder de tomada de decisões é dividido entre todos os colaboradores da empresa. Isso possibilita maior velocidade de processos e a empresa se torna mais responsiva às dinâmicas do mercado e a transformação digital.

Assim, é importante estabelecer uma forma de gestão participativa pedindo a opinião dos colaboradores através de reuniões, mas também da intranet, redes sociais internas, entre outras. 

Aqui, o mindset digital torna-se um elemento chave, pois estamos falando de uma geração cujos membros querem compartilhar suas ideias, não ficar isolados em seu trabalho, sozinhos em seus respectivos escritórios para alcançar objetivos individuais.

Grandes CEO’s, como Mark Zuckerberg, do Facebook, não ficam intocáveis em um grande escritório no último andar como antigamente. É isso que os jovens de hoje estão procurando: líderes que reconheçam a importância da comunicação horizontal e da colaboratividade.

Recrutamento e gestão de recursos humanos

Em termos de recrutamento, é a mesma coisa. Os  millennials preferirão uma startup a uma grande empresa porque sabem que terão mais flexibilidade, mais diversão e menos constrangimento. Portanto, as organizações precisam reconhecer que os métodos de recrutamento de ontem não funcionam mais em um mundo pautado pelo mindset digital. 

Os processos do RH devem ser mais simples, fáceis de entender e executar, e, sobretudo, digitais. Portanto, a gestão de pessoas requer transparência, igualdade entre colegas e comunicação horizontalizada. Para atrair e envolver os talentos plenamente nos projetos da sua empresa, não hesite em implementar métodos mais inovadores – e, claro, o mindset digital!

*

Em suma, esses são alguns dos elementos e valores do mindset digital que mais  atraem as pessoas, em especial, os membros da geração Y ou millennials. Recrutar esse perfil de profissional é cada vez mais decisivo para o sucesso nos negócios, graças ao seu domínio da tecnologia digital, à sua versatilidade, mas também à sua velocidade de análise e ação.

Logo, a transformação e o mindset digital deve ocorrer como prioridade nos recursos humanos, porque são profissionais como você que estão na linha de frente com os colaboradores, com os candidatos, sindicatos e instituições governamentais. 

É um desafio complicado e longo porque é uma (r)evolução total da forma de pensar e dos métodos de trabalho, mas o lado positivo é que a tecnologia está presente para viabilizar essas transformações.

A partir da implementação de ferramentas digitais é fundamental trazer inovação e eficiência às operações do seu RH, unindo tecnologia – para customizar e automatizar processos – à empatia e humanização necessária. Somente assim é possível engajar os melhores talentos ao longo do seu processo seletivo

Que tal conhecer as soluções que o ATS da Talentbrand pode oferecer à sua empresa? Agende hoje uma demonstração e conheça melhor as funcionalidades que garantimos ao seu RH! Saiba mais aqui.

Social

INSTAGRAM

LINKEDIN