Estabelecer uma cultura de feedback deve fazer parte da sua estratégia de RH. Descubra aqui a importância dessa prática e como realizá-la de forma eficiente!

De acordo com um estudo da Harvard Business Review, 72% dos colaboradores acreditam que seu desempenho melhoraria se seus gerentes dessem feedback corretivo regularmente.

Entretanto, muitos gerentes não se sentem confortáveis em dar quaisquer tipos de devolutivas. Para outros, fazer considerações positivas sobre o trabalho da equipe ou indivíduos, é fácil, natural, e até mesmo gratificante. 

Mas, quando o retorno ao colaborador é negativo, é comum que se sintam pisando em ovos, com medo de magoar um colega ou causar um mal-entendido.

Em todos os casos, realizar avaliações de impacto sobre um comportamento a ser modificado é fundamental para a produtividade dos colaboradores e melhores resultados da empresa como um todo. Então, como oferecer uma devolutiva de forma eficiente? No artigo de hoje, você descobre! Continue conosco!

A importância do feedback

Feedback é um termo em inglês amplamente utilizado em gestão de recursos humanos. Por definição, dar um feedback a um colaborador significa oferecer-lhe uma avaliação de seu desempenho no trabalho durante um determinado período ou projeto.

Para funcionar, este parecer profissional deve ser expresso de forma clara e, preferencialmente, baseado em indicadores-chave de performance. Quando esta devolutiva é construtiva, resulta em mudanças que impactam o nível de engajamento dos indivíduos positivamente.

Assim, saber como dar esse tipo de retorno às pessoas a quem você lidera é uma valiosa competência gerencial. Isso porque, desta forma, é possível estabelecer o diálogo, facilitar a comunicação interna e, em simultâneo, realizar um balanço das principais atividades e projetos e das mudanças a serem acionadas, se necessário. 

Portanto, estabelecer uma cultura de feedback deve fazer parte da sua estratégia de RH. Mas, é preciso compreender que cada tipo de parecer, negativo ou positivo, exige uma postura diferente por parte do gestor, como veremos a seguir.

Feedback positivo

Quem não gosta de ver seu trabalho ser reconhecido e elogiado? Muitas vezes, a devolutiva positiva é esquecida pelos gerentes. No entanto, ao apreciar o desempenho de cada membro da equipe, o líder alimenta uma fonte importante de motivação. Então, vamos ver como fazê-lo de forma eficiente.

1. Feedback positivo sobre o trabalho

Muitos colaboradores não se sentem valorizados pela empresa em que trabalham. Logo, elogiar o trabalho executado por eles, quando merecido, deve se tornar um hábito – principalmente quando você reconhece que o feedback positivo melhora a autoestima e estimula a motivação. 

O que fazer: destacar as ações, projetos e atividades realizadas, de forma simples e direta.

O que não fazer: elogiar excessivamente a pessoa, pois isso pode descreditar sua devolutiva. Também, evite ser vago e usar frases genéricas.

Exemplo de feedback positivo sobre o trabalho executado:

“Parabéns pela apresentação! Eu realmente gostei da maneira como você realizou a etapa x do projeto, usando…”

2. Feedback positivo nas áreas de melhoria 

Para impulsionar o feedback positivo, você pode sugerir áreas de melhoria. Dessa forma, você mostra que deseja que seus colaboradores se desenvolvam e progridam em suas carreiras. 

O que fazer: seja honesto sobre suas expectativas e proponha o diálogo aberto, deixando o interlocutor compartilhar impressões, opiniões e sentimentos com você.

O que não fazer: realizar considerações idênticas a todos os membros da sua equipe, sem avaliá-los individualmente. Além disso, evite indicar apenas os pontos a serem melhorados, sem qualquer apreciação da entrega dos colaboradores. 

Exemplo de feedback positivo sobre o trabalho executado:

“Em geral, apreciei suas atribuições em tal e tal projeto e a maneira como você conseguiu conduzi-lo até o fim! Para a próxima vez, pode ser interessante você considerar fazer de tal modo…”

Feedback negativo

Comumente, os gerentes tendem a dar apenas feedbacks negativos: coisas para modificar, melhorar, retificar. Porém, essas devolutivas podem ser mal-interpretadas e ter um resultado oposto ao desejado. Isso porque o colaborador pode acreditar que a crítica excessiva significa que não confiam em sua competência.

Ainda, por vezes, uma avaliação negativa também pode estar relacionada ao comportamento de um indivíduo da equipe. Qualquer que seja o caso, é essencial passar a mensagem de forma clara, a fim de evitar criar um clima negativo na empresa.

1. Feedback negativo sobre o trabalho

Você sabia que 2/3 dos colaboradores desejam receber feedbacks, mesmo que negativos? Isso reforça a importância de realizar essas devolutivas regularmente! 

Como já apontamos, é importante que o gestor seja o mais claro e honesto possível, sempre mantendo uma abordagem respeitosa e atenciosa.

Mesmo que oferecer um feedback negativo não seja a parte mais agradável da função de um gerente, este é essencial para o bom funcionamento das equipes e do negócio. 

O que fazer: indique apenas aquilo que o seu funcionário pode mudar e/ou melhorar. Aproveite a oportunidade para convidá-lo para pensarem juntos em uma solução para os problemas levantados. 

O que não fazer: um julgamento pessoal sobre o indivíduo, e não sobre seu trabalho. Outro ponto para ficar atento é jamais apoiar sua avaliação exclusivamente em opiniões de terceiros.

Exemplo de feedback negativo sobre o trabalho executado:

“Percebi que você teve dificuldade em cumprir suas atribuições esta semana. Acredito que podemos encontrar uma solução para você conseguir encontrar o ritmo certo. Gostaria que reorganizássemos suas tarefas ou sua programação para você poder se organizar de forma diferente?”

2. Feedback negativo sobre o comportamento

Frequentemente, os gerentes precisam gerenciar conflitos internos nas equipes. Nem sempre é fácil abordar o assunto, mas esse posicionamento permite renovar o diálogo e propor soluções. 

Após analisar a situação que gerou a falta de entendimento entre as duas ou mais partes, você pode sugerir uma reunião para compartilhar suas ideias acerca do assunto com as pessoas envolvidas.

O que fazer: seja específico, ilustrando o comportamento criticado com exemplos concretos. Nesses casos, o ideal é que você responda ao problema rapidamente, então não espere muito para se posicionar sobre o ocorrido.

O que não fazer: ameaças implícitas, do tipo “se você quiser manter o seu emprego aqui… “. Ademais, nunca generalize o comportamento da pessoa, usando termos como  “sempre” ou “o tempo todo”. Lembre-se: esse tipo de devolutiva precisa ser específica.

Exemplo de feedback negativo sobre o trabalho executado:

“Eu vi você chegar atrasado na manhã de ontem. Da próxima vez, tente chegar um pouco mais cedo, assim evitamos…”.

*

Agora você já sabe qual o papel do feedback na gestão de recursos humanos e tem em mãos algumas dicas para fazê-lo de forma eficiente. Não se contente mais com uma reunião anual com os colaboradores para dar seu parecer sobre desempenho e resultados. 

Lembre-se de que é essencial o RH estimular a cultura de feedback contínuo na organização. Dessa forma, sempre existirá uma oportunidade para criar uma discussão aberta, que permitirá o aprendizado de todos, líderes e liderados, fornecendo mais soluções e clareza para o futuro!

O que achou das nossas dicas? Aqui no blog da Talentbrand trazemos os assuntos mais relevantes para os profissionais de RH, abordando principalmente questões que envolvem a transformação tecnológica e o uso de ferramentas digitais.

Explore nosso conteúdo e conheça mais sobre as soluções que oferecemos para sua empresa! O ATS da Talentbrand vai destravar os processos e oferecer uma experiência única para candidatos e recrutadores da sua empresa.

Entenda aqui como funciona! 

Social

INSTAGRAM

LINKEDIN