O que é discriminação por idade no trabalho? Como combatê-la? Descubra tudo sobre etarismo no artigo de hoje!

Etarismo é o termo utilizado para se referir ao tratamento preconceituoso dirigido a uma pessoa com base em sua idade. No mercado de trabalho, tal conduta discriminatória pode ocorrer tanto em âmbito individual, quanto institucional, por meio de práticas e políticas definidas pela empresa.

Às vezes, encontrar um emprego é mais difícil para os jovens com pouca experiência e para as pessoas com 45 anos ou mais. Em vez de descrever as características e habilidades necessárias, o empregador geralmente se refere (direta ou indiretamente) à idade do candidato.

No entanto, assim como o sexismo, o racismo ou a homofobia, o preconceito de idade é proibido por lei (art. 7.º da Constituição Federal, inciso XXX). Apesar disso, não há senso de urgência para enfrentar o problema da discriminação por idade por grande parte das empresas.

Diante disso, que medidas você pode tomar, como gestor de recursos humanos, para evitar o etarismo? O que sua organização pode fazer para promover seu negócio como um lugar para talentos de todas as idades? Quer descobrir as respostas para essas questões? Então, acompanhe os próximos tópicos do nosso artigo!

Como ocorre a discriminação por idade no trabalho?

O etarismo pode ser observado em qualquer fase do emprego, incluindo descrições de cargos, entrevistas, contratações, salários, atribuições, avaliação de desempenho, treinamento, promoções, recompensas e demissões.

Embora a discriminação por idade no trabalho afete mais frequentemente pessoas idosas, especialmente mulheres, também há casos onde os mais jovens enfrentaram esse tipo preconceito. Portanto, existem diferentes tipos de preconceito etário, por exemplo:

  • Discriminação direta: ocorre quando um empregador trata injustamente um funcionário ou candidato a emprego exclusivamente por causa de sua idade.

Exemplo: exclusão de um curso de treinamento pelo colaborador ser muito velho.

  • Discriminação indireta: ocorre quando uma política da empresa que se aplica a todos coloca uma determinada faixa etária em desvantagem. 

Exemplo: o empregador tem uma política que permite que apenas funcionários com qualificação de pós-graduação sejam promovidos. Embora essa regra se aplique a todos, ela desfavorece os mais jovens com menos probabilidade de ter essa qualificação.

  • Assédio: qualquer comentário ou comportamento ofensivo, ou depreciativo, associado a idade, por parte de um colega ou empregador no local de trabalho é assédio. Essa circunstância também configura etarismo.

Exemplo: um gerente continuamente se refere a um colaborador como “vovô” ou “vovó”.

Note que todos podemos ser vítimas de discriminação etária em algum momento de nossas vidas. Dada a inevitabilidade do envelhecimento, é fundamental reconhecer o seu papel enquanto gestor de recursos humanos no combate ao etarismo. Vejamos a seguir algumas dicas de como você pode aplicar.

Como gerenciar a discriminação por idade no trabalho?

As empresas que desejam que seus colaboradores prosperem e tenham uma vida profissional produtiva precisam criar um ambiente aberto onde pessoas de todas as faixas etárias se sintam valorizadas e respeitadas. Aqui estão algumas dicas de como gerenciar a discriminação de idade no trabalho:

1. Altere a descrição de vaga

Apague as referências ao candidato ideal com “10 anos de experiência” ou “formado há 3 anos”. Da mesma forma, evite termos como “nativo digital” ou “alta energia”, que tendem a favorecer uma faixa etária mais jovem. Em vez disso, concentre-se na experiência exigida e habilidades necessárias para levar os projetos adiante.

2. Organizar treinamento antidiscriminação

Aborde a questão aumentando a conscientização sobre o etarismo. Assim como você cria programas de treinamento sobre discriminação de gênero, eduque líderes e colaboradores em tópicos como preconceito implícito e formação de equipe – é melhor fazer prevenção a enfrentar qualquer possível ação legal.

3. Fornecer treinamento sobre ferramentas e tecnologia

Forneça treinamento sobre a tecnologia e as ferramentas necessárias para realizar o trabalho. Torne essas formações obrigatórias para novos colaboradores, mas também dê às pessoas com tempo de casa a chance de acompanhar as melhores práticas e dicas úteis sobre suas ferramentas de trabalho.

4. Faça ou revise planos de carreira

Seus funcionários têm planos de carreira bem definidos? Levante a questão, especialmente à medida que a empresa cresce e amadurece. Para os trabalhadores mais velhos cujas carreiras estão em um impasse, crie  perspectivas e repense o organograma. Encontre uma maneira deles continuarem a crescer profissionalmente enquanto estiverem em sua organização.

5. Reduções justas

Muitas vezes, são os trabalhadores mais velhos que carregam o peso das aquisições corporativas e do downsizing dos negócios. Portanto, é preciso estar atento e evitar tomar decisões de demissão baseadas exclusivamente na idade do colaborador.

6. Demonstre empatia

Se você perceber que um trabalhador mais velho parece ter dificuldades com suas tarefas, converse com ele. Concentre-se nos fatos (desempenho reduzido, entregas atrasadas, ​​etc.), mas também pergunte como você pode ajudar a reverter a situação. 

*

De fato, o etarismo é uma realidade prejudicial tanto para as empresas quanto para a economia como um todo. Por esse motivo, as organizações devem ter políticas claramente definidas para lidar com o assédio e a discriminação por idade no trabalho.

Cabe a você, como gerente de RH, estar atento ao problema e fomentar uma cultura corporativa contra esse tipo de conduta em sua organização, além de aplicar rigorosamente as políticas da empresa em caso de tratamento injusto e preconceituoso. Afinal, talento e diversidade não tem idade!

O que acha de contratar os melhores profissionais para a sua empresa? Acrescente inteligência e inovação dos processos seletivos com softwares e ferramentas tecnológicas! Uma delas é a plataforma da Talentbrand.

Entenda aqui como funciona!

Social

INSTAGRAM

LINKEDIN